Data de Fundação: 20 de Janeiro de 1758

258 anos de história!

Em Santo Antônio do Monte...


População: 27.752 (IBGE 2015)
Taxa de crescimento anual estimada: 2,0% (IBGE)
População masculina: 13.205 = 50,81% (IBGE 2010)
População feminina: 12.784 = 49,19% (IBGE 2010)
População Urbana: 22.205 = 85,44% (IBGE 2010)
População Rural: 3.784 = 14,56% (IBGE 2010)
Número de Eleitores: 17.438 (TSE - Novembro/2009)
IDH: 0,779 médio (Fonte PNDU 2000 Brasil)
IDHM: 0,724 médio (Fonte ONU 2013)
PIB: R$ 176.976.000 (IBGE 2005)
Renda per capita: R$ 6.575,00 (IBGE 2005)
Localização: região centro-oeste de Minas Gerais
Área: 1.125,78 km² (IBGE 2015)
Densidade demográfica: 23,07 hab/km² (IBGE 2015)
Altitude: 1.052 m
Fuso horário: UTC-3
Latitude: -20° 05' 14''
Longitude: 45° 17' 37''

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Os Rifeiros de Santo Antônio do Monte


Segue abaixo uma interessante discussão sobre os rifeiros de Santo Antônio do Monte e, por extensão, também de Lagoa da Prata e cidades vizinhas que casualmente encontrei numa página da Wikipédia em língua portuguesa. O texto que se encontra entre aspas e em negrito está aqui reproduzido integralmente e sem nenhuma alteração nem de conteúdo e nem de correção gramatical. Um ponto a observar é que se trata de um texto anônimo. Ora, seria mais adequado e também interessante que os autores tivessem se nomeado. De qualquer maneira, segue abaixo a transcrição do texto, sendo que o endereço de onde foi retirado encontra-se ao seu final.

“Retirei o conteúdo absurdo, que agora está aí embaixo. De qualquer forma, acho que seria bom criar uma Wikcionário: Piadas semelhante ao da Wikipédia pra guardarmos informações como essa.

Habitantes de Santo Antônio do Monte (principalmente), Lagoa da Prata e outras cidadezinhas próximas, os rifeiros são seres que são fáceis de identificar em alguns aspectos. São eles:

1) Pelo seus meios de condução: facilmente achados com veículos do tipo parati, santana, passat (caíndo aos pedaços).
Obs: veículos com bagageiros enormes e desproporcionais, cheios de ursos e outras porcarias.

2) Eles fazem um viagem para o Rio de Janeiro, vendem suas muambas, ganham uns trocados e as primeiras coisas que fazem são: colocar insulfilm nos seus carros (citados acima), colocar um som horrivel pra todo mundo que ta de fora do carro ouvir.

3) Os estilos musicais variam entre: axé, funk, sertanejo, pagode e por aí vai.

4) Andam na cidade como se estivessem em um autódromo.

5) Tiram grande vantagem em falar quanto ganham pra todo mundo.

6) São grandes pilantras, forçam a venda das suas muambas para pessoas que não tem condição as vezes nem de comer.

Apesar de não encontrar essa palavra nos dicionários, mantive o significado não piadístico por ela aparecer em vários saites em português e até numa crônica escrita no que parece ser mirandês. -- Leuadeque (contato) 18:09, 15 Outubro 2005 (UTC) Achei um absurso o que falaram acima sobre os rifeiros, pois acima de tudo vc esqueceu de sitar que muitos morrem na estrada tentando uma maneira de ganhar a vida, e mais e uma profissão que merece respeito como qualquer outra, pois o dinheiro que eles ganham não e facil pois tem que enfrentar sol, chuva, e andar em lugares perigosos. e criticar e facil mais se não fosse a rifa muita gente não teria a vida que tem hoje pois a rifa principalmente e santo antonio do monte e a sugunda maior fonte de renda. Por isso antes de criticar e fazer piadinhas sem nenhum pingo de graça tente fazer o que eles fazem, levar a vida como eles levam para ver como e dificil, e realmente os carros andão caindo os pedaços mas pode olhar que e com eles que o dinheiro anda não como estes filinhos de papai que financiam um carro em 80 vezes e ficam devendo ate os cabelos so para manter as aparencia... (El' Mika) Aposto que quem escreveu esse artigo, nunca precisou pegar no volante durante dez horas seguidas para correr atráz de seu pão de cada dia,ou mesmo, nunca precisou dormir em um quarto fedido, depois de comer um pão dormido com salame, em um desses hoteizinhos baratos de beira de estrada, por não ter recebido quase nada durante a semana, e o que é mais cabuloso é que ainda temos que aguentar esse cidadão dizer que nossas mercadorias são porcarias,sendo que na verdade temos trabalar com mercadoria de qualidade (por que a concorrencia e grande),e de procedencia regularizada com nota fiscal (para apresentarmos para a Polícia Rodoviária). Não se pode dizer que somos todos pilantras, afinal lugar de pilantra é na cadeia, e como se nota, estamos trabalhando nas ruas todos os dias como cidadãos direitos e normais.Não se pode julgar uns pelos os outros, afinal nem todos os dedos das mãos são iguais. Quanto as demais críticas acho que vou relevar, afinal ele (o texto) mesmo se contradiz; ora se anda de carro caindo aos pedaços, ora se ganha muito ao ponto de investir em equipamentos para seus carros, os quais realmente apresentam-se velhos, mas na verdade são verdadeiras máquinas, e ainda por cima estão pagos e não deixam de ser dignos de serem respeitados perto de qualquer carro de payboizinho. Ah! E só para esclarecer, a gente não vende nada! Pagamos para venderem para a gente. Assim ainda garantimos o pão na mesa de muitas casas.

Adendo: Concordo plenamente! Para enriquecer seu comentário, acrescento que se houvessem outras alternativas para se ganhar a vida em Santo Antônio do Monte, certamente poucos optariam por ser rifeiros. Eles, os rifeiros, optaram por este trabalho pois nas cidades conservadoras do Centro Oeste predominam o familismo, o coronelismo. Quem nasceu nas famílias abastadas, famílias que num passado distante conseguiu patrimônio explorando negros escravos ou tomando terras de índios, ou aqueles que vivem como capachos dos "poderosos", podem ter carros, casas lindas e uma vida digna. Aos "Dalits", aos intocáveis, cabe se arrebentar numa fábrica de fogos, implorar benesses políticas ou então, tentar se formar nas escolas de péssima qualidade, que preparam para tudo, menos para o mercado de trabalho. Antes de fazer piadinhas, acho que as pessoas deveriam pensar numa saída para melhorar as cidades da região, pois a rifa, como toda atividade econômica, pode acabar e aí, lá vem a recessão. Pessoalmente, acredito na mudança, em dias melhores. Acredito que os rifeiros são vendedores que merecem credibilidade, pois oferecem algo concreto, algo que se para os abastados de nossa cidade é considerado de péssima qualidade, para a gente que vive nas favelas, onde não se produz nada, são de uso cotidiano e tornam a vida mais agradável. Madames e new-coronéis: saibam que nem todos podem, como vocês, podem usar roupas de etiquetas que custam os olhos da cara (ou o suor de seus subordinados). Nem todos podem desfilar de Cherokee, Honda Civic, Vectra... Nossas mercadorias são mais úteis do que as porcarias eletrônicas que poluem a tv aberta, os falsos medicamentos da internet, os aparelhos para acabar com celulite, para empinar os seios, para crescer a bunda das madames boa-vida. Os rifeiros, criticados por muitos filhinhos de madames e de coronéis, por pseudo-intelectuais, levam um pouco de conforto e, quem sabe, da futilidade que vocês esbanjam para o povo das favelas, dos suburbios, que como vocês, merecem desfrutar do sonho capitalismo, já que talvez por culpa de vocês, os olhos claros, o socialismo puro falhou. Por isso nós, a turma dos carros velhos, que um dia foi luxo para vocês, trabalhamos com honestidade e risco. Não tenhamos preconceito contra qualquer trabalhador que luta com dignidade para buscar a prosperidade! Por favor, madame. Por favor, senhor coronel e doutor, por favor, filhos daqueles que nasceram em berço de ouro: vão estudar numa faculdade, na melhor do país ou do mundo e busquem uma solução para uma cidade melhor. Pode ter certeza: estaremos com vocês... Pois trabalho não nos assusta. Mostrem-nos um caminho melhor que nós encontraremos o atalho.

Habitantes de Santo Antônio do Monte (principalmente), Lagoa da Prata e outras cidadezinhas próximas, os rifeiros são seres que são fáceis de identificar em alguns aspectos. São eles: HABITANTES DE SANTO ANTÔNIO DO MONTE, LAGOA DA PRATA E CIDADES PRÓXIMAS, OS RIFEIROS SÃO PESSOAS QUE SÃO FACEIS DE INDENTIFICAR EM ALGUS ASPECTOS. SÃO ELES:

1) Pelo seus meios de condução: facilmente achados com veículos do tipo parati, santana, passat (caíndo aos pedaços). Obs: veículos com bagageiros enormes e desproporcionais, cheios de ursos e outras porcarias. 1) PELOS SEUS CARROS DE TRABALHO QUE SÃO PARATI, SANTANA, PASSAT TAIS CARROS SÃO UTILIZADO POR CAUSA DO PORTA MALA SER GRANDES PORTANTO CABEM MAIS MERCADORIAS AS VEZES PODE ATE ESTÁ CAINDO AO PEDAÇOS MAS SÃO PORQUE CARREGAM MUITO PESO E VIAJAM CERCA DE OITOCENTOS QUILOMETROS POR SEMANA. MAS AO CHEGAR NAS CIDADE TODOS PASSAM POR UMA REVISÃO. LOGO OS CARROS SÃO BEM CUIDADOS. 2) Eles fazem um viagem para o Rio de Janeiro, vendem suas muambas, ganham uns trocados e as primeiras coisas que fazem são: colocar insulfilm nos seus carros (citados acima), colocar um som horrivel pra todo mundo que ta de fora do carro ouvir. 2)VIAJAM PARA O RIO DE JANEI~RO, SÃO PAULO, BELO HORIZONTE, DISTRITO FEDERAL, PARANÁ E ESPIRITO SANTO, VENDE SUAS MERCADORIAS QUE POR SINAL SÃO DE OTIMA QUALIDADE, GANHAM SEUS DINHEIROS DIGNAMENTE E AS PRIMEIRAS COISAS QUE FAZEM SÃO: VER SUAS FAMILIAS, ACERTAR COM OS SUA COLOCADORES, COMPRAR MAIS MERCADORIAS, CARREGAR O CARRO DEPOIS DISTO SAEM DE VIAGEM NOVAMENTE. QUANDO JA TEM UM DINHEIRO A MAIS COMPRAM OUTRO CARRO PARA PASSEIO E ARRUMAM ELE DO JEITO QUE MELHOR LHE AGRADAM 3) Os estilos musicais variam entre: axé, funk, sertanejo, pagode e por aí vai. 3) O QUE FAZEM DELES PESSOAS AMADAS POR TODOS NA CIDADE E INVEJADAS NÉ? SEU CASO É DE INVEJA! 4) Andam na cidade como se estivessem em um autódromo. 4) CARRO FOI FEITO PARA CORRER SE FOSSE PARA ANDAR ANDASSEM DE BICICLETA. (Não concordo com voce neste ponto pois o limite de velocidade deveria ser respeitado pois os pedestres estão sempre em desvantagem no transito e ai se fosse alguem de sua familia a ser atropelada por algum gostosão do volante o que voçe acharia) 5) Tiram grande vantagem em falar quanto ganham pra todo mundo. 5) VC ESTA SE CONTRADIZENDO (ganham uns trocados) GANHAM DINHEIRO JUSTO PELO TRABALHO E ESFORÇOS. 6) São grandes pilantras, forçam a venda das suas muambas para pessoas que não tem condição as vezes nem de comer. 5) NINGUEM OBRIGA A NADA PELO CONTRRARIO AJUDAM A MANTER A RENDA MENSAL DE MUITAS FAMILIAS QUE DEPENDEM DA RIFA PARA SOBREVIVER. NO BRASIL UM PAIS QUAL A TAXA DE DESEMPREGO É ALTA TAIS SERVIÇOS COLABORAM PARA BAIXART OS INDICES.

SÓ PARA EXPLICAR COMO FUNCIONA A RIFA; A RIFA É A VENDA DE PRODUTOS COMO PERFUMES, CREME DE CABELO, CREMES PARA A PELE, BIJUTERIAS E ETC. OS RIFEIRO SAEM DE SUAS CIDADES PARA OUTRA LEVANDO TAIS MERCADORIAS EM SEUS CARRO, FAZEM A VENDA DESSES PRODUTOS PARA BAIRROS DE CLASSE BAIXA. A VENDA DESSES PRODUTOS É FEITA ASSIM: OS RIFEIROS PASSAM DE CASA EM CASA DE DETERMINADA PELIFERIA OFERECENDO SEUS PRODUTOS QUEM ACEITA FICAR COM AS MERCADORIAS TEM DOIS MESES PARA VENDE-LAS APOS ESSES DOIS MESES ELES PASSAM RECOLHENDO O DINHEIRO E PAGANDO PARA AS PESSOAS PORCENTAGEM DO LUCRO SOBRE ESSE PRODUTOS E OFERECEM MAIS MERCADORIAS ASSIM QUE FUNCIONA DIFERENTE DE ALGUNS CONCEITOS PRECONCEITUOSOS. ANTES DE FALAR CONHEÇA.

Obtido em
http://pt.wiktionary.org/wiki/Discuss%C3%A3o:rifeiro.”

2 comentários:

  1. todo trabalho é árduo e digno ,acho que temos que respeitar todo homem que trabalha honestamente ...
    melhor é eu nem tecer comentarios á quem criticou ok !!!

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir